Para além das recomendações de isolamento ou hábitos de higienização, a Célebre Corretora elaborou um Guia de Prevenção COVID-19 para as empresas e os departamentos de recursos humanos lidarem com o novo coronavírus. Afinal, como promover a saúde em tempos de pandemia?

Brasil: uma realidade distinta

Verdade seja dita, querendo ou não, o ano de 2020 será para sempre recordado como a época em que o novo coronavírus disseminou-se pelo mundo. Se por aqui os primeiros casos demoraram a chegar (em meados de fevereiro), a situação tornou-se agravante logo no mês seguinte. Inclusive, hoje considera-se que países continentais do extremo ocidente (como Estados Unidos e Brasil) sejam um novo epicentro da pandemia. Com o número cada vez maior de infectados e mortes decorrentes da doença, a orientação mais difundida ainda prevalece: o distanciamento social absoluto.

Contudo, se observamos a grande massa que compõe a economia do país, estamos diante de um mercado bastante fragilizado. Isto é, além dos trabalhadores informais e autônomos, os donos de pequenos negócios também se deparam com um cenário de vulnerabilidade nesses momentos de crise. Ou seja, com a grande redução da população circulando pelo comércio, a economia brasileira já sentiu os primeiros baques dessa pandemia. Seja o impacto no consumo, no número de clientes ou no emagrecimento das receitas. Portanto, não há como fugir. As perspectivas para os próximos meses não são as melhores, de modo que toda a operação e abordagem dos negócios estão sendo revistas, sobretudo aquelas que não trabalham com bens e serviços essenciais.

Guia de Prevenção (COVID-19)

E foi a partir desta premissa, que reunimos um material contendo desde algumas medidas restritivas até as ações de mitigação dentro das melhores práticas corporativas, e claro, tudo baseado nas orientações dos principais órgãos de saúde. Para acessar, basta preencher o formulário a seguir e garantir o seu exemplar.

Para se ter uma ideia, de acordo com o Sebrae, os pequenos negócios respondem por cerca de 98% das empresas no Brasil, sendo responsáveis por sua vez, pela metade dos empregos gerados e quase 40% do total dos salários pagos. Ao todo, quase 80% das micro e pequenas empresas (MPE), atuam no segmento de comércio e serviços. Só com este panorama, é possível entender quais setores serão mais afetados durante a crise provocado pela COVID-19. Por isso, torna-se tão importante o investimento em uma boa Gestão de Riscos, que possa minimizar todos os impactos negativos em cada negócio, para enfrentamento desta pandemia.

E lembre-se: a melhor forma de enfrentamento contra o coronavírus é reduzir a velocidade com a qual esse vírus vai se propagando. E este é um trabalho colaborativo. Quanto mais as pessoas cooperam, mais lentamente o vírus irá se alastrar.

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *